inova.jor

inova.jor

Como as fintechs podem reduzir o custo dos empréstimos

O Bankfacil oferece empréstimos com garantia de veículos e imóveis / Renato Cruz/inova.jor
O Bankfacil oferece empréstimos com garantia de veículos e imóveis / Renato Cruz/inova.jor

Quando criou o Bankfacil, em 2012, o espanhol Sergio Furio testou a venda via internet de vários serviços financeiros para consumidores brasileiros. Depois do período inicial de testes, resolveu focar em empréstimos com garantia.

O Bankfacil é uma das empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros, também conhecidas como “fintechs”, que ajudam a reduzir o montante de juros pagos pelo consumidor.

Quando o cliente oferece seu carro ou imóvel em garantia, os juros são bem mais baixos do que nas linhas de crédito mais comuns oferecidas pelos bancos. “Os ganhos dos grandes bancos estão concentrados principalmente em crédito pessoal, financiamento de cartão de crédito e cheque especial”, afirmou Furio.

Ele apresentou alguns números que retratam a situação do mercado brasileiro. A taxa de juros média do crédito pessoal no Brasil está em 120%, a do financiamento do cartão em 343% e a do cheque especial em 285%. Em comparação com os empréstimos com garantia, a taxa média do financiamento de veículos está em 26% e a de imóveis em 23%.

Segundo Furio, os grandes bancos não têm interesse em incentivar o consumidor a migrar para linhas de crédito mais baratas, e suas agências não estão bem preparadas para vender esse tipo de produto.

O Bankfacil acabou tendo de contratar, no ano passado, especialistas de crédito para fazer a análise do perfil e da documentação do cliente. Depois da análise, o site mostra quais de suas 12 instituições parceiras estariam dispostas a emprestar dinheiro ao interessado.

Categorias de empréstimos e taxas de juros no Brasil e nos EUA / Fonte: Bankfacil

 

“Nos Estados Unidos, as pessoas trocam de carros a cada três anos. No Brasil, a média está em oito anos. Existem por aqui muitos veículos sem dívida, que poderiam ser refinanciados”, explicou o fundador do Bankfacil. “Quando olhamos as residências brasileiras, 80% delas estão quitadas. Há 40 milhões de unidades imobiliárias sem dívida e 20 milhões de famílias endividadas.”

No ano passado, o Bankfacil recebeu R$ 10 milhões em investimento da Redpoint eventures e da Accion’s Frontier Investments. Com 77 funcionários, a empresa já intermediou mais de R$ 100 milhões em empréstimos.

Classificados

Outra das fintechs interessadas nesse mercado é a Finanzero, criada no Brasil pelo sueco Olle Widén. A empresa acabou de iniciar as operações, tendo inicialmente dois bancos parceiros.

O foco inicial está no financiamento de veículos. A empresa fechou um acordo com a OLX, para financiar os veículos anunciados no site de classificados eletrônicos.

“Estudamos ampliar a atuação para empréstimos com garantia de imóveis e consórcios. Os bancos também estão interessados que ofereçamos empréstimos consignados”, afirma o fundador da Finanzero.

Enquanto estudava o mercado brasileiro, Widén analisou o sucesso de empresas parecidas que já atuam há alguns anos na Europa, com a sueca Lendo e a britânica Freedom Finance. A base tecnológica da Finanzero é a mesma da Lendo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O Oito conta com incubadora, coworking, laboratório de IoT e espaço de eventos / Divulgação

Incubadora da Oi abre processo de seleção de startups

A Oi inaugurou hoje (24/8), no Rio de Janeiro, o Oito, seu espaço de empreendedorismo e inovação. A operadora também deu início à seleção de startups para um programa de incubação. As inscrições vão até 15 de outubro. Terão preferência empresas iniciantes com projetos nas seguintes áreas: internet das coisas[…]

Leia mais »
Índice de confiança em tecnologia e instituições financeiras deve alavancar mercado de fintechs / Jason Howie / Flickr / Creative Commons

Confiança do brasileiro beneficia fintechs

As fintechs, empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros, devem crescer exponencialmente no Brasil nos próximos anos. O cenário positivo é baseado no aumento da confiança no setor de tecnologia e nas instituições financeiras brasileiras. As conclusões fazem parte do Trust Barometer, estudo realizado anualmente pela Edelman em 18 países. Segundo[…]

Leia mais »

5 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami