inova.jor

inova.jor

Pulseira substitui cartão de débito

Orlando Purim Jr. comanda a Atar, que criou uma pulseira inteligente / Renato Cruz/inova.jor
Orlando Purim Jr. comanda a Atar, que criou uma pulseira inteligente / Renato Cruz/inova.jor

A Atar, startup sediada em Timbó (SC), criou uma pulseira inteligente, que substitui o cartão de débito. Ela funciona com tecnologia NFC (sigla em inglês de comunicação de proximidade). Para pagar, é só aproximá-la do leitor de cartões e digitar a senha.

“Oitenta e cinco por cento dos leitores de cartões no Brasil têm NFC”, afirma Orlando Purim Jr., de 25 anos, diretor executivo e cofundador da Atar. O produto encontra-se em pré-venda, por R$ 249. Quem comprar agora deve receber a pulseira em agosto.

A Atar Band funciona como um cartão pré-pago. O usuário emite um boleto e transfere dinheiro para a pulseira. Segundo Purim Jr., com o sistema de controle de gastos do aplicativo que acompanha o produto é possível fazer previsões de quanto transferir a cada mês.

A mensalidade da Atar Band é de R$ 7, com isenção nos três primeiros meses. O primeiro boleto mensal é grátis, e os outros custam R$ 3 cada.

O empreendedor destaca que a pulseira é à prova d’água e não tem bateria. O aplicativo apresenta notificações a cada compra e registra o histórico de pagamentos.

Apesar de promissor, o mercado de vestíveis ainda precisa se provar. O dispositivo mais famoso é o Apple Watch, que também faz pagamentos por NFC. “A Atar Band é especializada em pagamentos e tem preço muito menor”, destaca Purim Jr.

A Atar fez um teste com 100 usuários. “A pulseira foi apontada como meio preferencial de pagamento por 77 pessoas que participaram do teste”, diz o empreendedor.

Investimento

Desde sua fundação, a Atar recebeu investimento de R$ 1 milhão. A empresa faz parte do programa Sinapse da Inovação, de Santa Catarina, e também recebeu aporte de um investidor anjo do mercado financeiro de São Paulo.

Criada há dois anos e meio, tem uma equipe de oito pessoas, incluindo os três sócios fundadores. A empresa busca acordos para que tíquetes e créditos de programas de fidelidade também possam ser usados por meio da pulseira.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Wayra, da Telefônica, abre inscrições para startups

A Wayra, aceleradora do Grupo Telefônica, está com inscrições abertas até 4 de dezembro. As startups escolhidas vão receber investimento de pelo menos US$ 50 mil e mais US$ 50 mil em serviços, como infraestrutura, mentorias, treinamentos e consultorias. Em troca, a Wayra torna-se acionista minoritária das companhias. Entre as[…]

Leia mais »
A startup argentina Nuvem Shop mira no e-commerce para empreendedor por necessidade do Brasil / Divulgação

Startups apostam no crescimento do comércio eletrônico

O comércio eletrônico tem crescido a passos largos no País. Com a crise econômica, empreendedores por necessidade têm apostado na internet para fazer negócios. Somente em 2015, 39,1 milhões de pessoas compraram online, totalizando 106,5 milhões de pedidos, segundo pesquisa da Ebit. Os valores do ano passado ainda não foram divulgados, mas a estimativa[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami