inova.jor

inova.jor

Cetip cria programa de aceleração para fintechs

Cetip: As fintechs ficarão em um co-working durante o processo de aceleração / Heisenberg Media / Flickr / Creative Commons
As fintechs ficarão em um coworking durante o processo de aceleração / Heisenberg Media/Creative Commons

Cada vez mais empresas consolidadas apostam em startups. A Cetip, gigante do mercado financeiro, anunciou ontem (11/8) o programa de aceleração Foresee, que beneficiará 10 fintechs (empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros).

O programa acontecerá em Florianópolis, com apoio da aceleradora Darwin Starter. Por nove meses, as startups ficarão no coworking da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) recebendo suporte e orientações.

A primeira rodada do projeto receberá startups de todo o Brasil. As selecionadas receberão aporte de R$ 170 mil.

Após o período de aceleração, as fintechs serão apresentadas a investidores. É possível ainda que recebem um novo aporte da Cetip, de acordo com os interesses da empresa.

As inscrições começarão no fim deste mês e serão feitas pelo site da aceleradora. As empresas serão avaliadas por executivos da Cetip e do Darwin Starter.

Para ser selecionada, a startup precisa estar em estágio inicial de desenvolvimento. Os critérios de seleção são perspectiva de longo prazo, equipe e produto.

Colaboradores

O projeto Forensee contemplará também os funcionários da Cetip. Nas palestras do Fórum Know, promovido pela Cetip, empreendedores que participam do projeto explicarão sobre as ferramentas e importância de inovação para os colaboradores.

Executivos da Cetip vão oferecer mentoria para os empreendedores das fintechs.

Outra empresa que abriu um processo de seleção de startups para aceleração recentemente foi a Pfizer, que busca empresas iniciantes do setor de saúde.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Boas práticas de governança corporativa facilitam o acesso de startups a investimento / Renato Cruz/inova.jor

Atenção à governança corporativa deve começar cedo

O ambiente tecnológico e suas necessidades constantes de inovação trazem em seu âmago alta ansiedade para cumprir prazos apertados, desde a concepção da ideia até sua materialização e transformação em produto/serviço comercial. Adicionado a isso, há uma frustração sempre presente: conviver com o fantasma da constante obsolescência. Muitas vezes, nesse[…]

Leia mais »
O Labelectron, da Fundação Certi, combina pesquisa e fabricação de produtos / Renato Cruz/inova.jor

Lei de incentivo à fabricação de eletrônicos precisa ser revista

A Lei de Informática oferece incentivos fiscais para computadores e equipamentos de telecomunicações produzidos no Brasil. A política foi condenada pela Organização Mundial do Comércio (OMC), a partir de uma série de denúncias do Japão e da União Europeia, sob o argumento de que torna injusta a competição com produtos[…]

Leia mais »

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami