inova.jor

inova.jor

Ontário: ‘Inovação é chave para o sucesso dos negócios’

Ontário: O cineasta David Cronenberg observa uma impressora 3D no TIFF Bell Lightbox / George Pimentel/Creative Commons
O cineasta David Cronenberg observa uma impressora 3D no Tiff Bell Lightbox / George Pimentel/Creative Commons

O mercado de tecnologia deve movimentar US$ 54,6 bilhões no Brasil em 2016.

No entanto, ainda precisamos falar sobre a importância da área de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para o setor e da necessidade de incentivarmos a inovação no País.

Temos visto que a prática de inovação e investimento em P&D tem sido adotada até por empresas que não possuem o DNA em tecnologia.

As companhias já perceberam que a inovação é chave para o sucesso do negócio.

A província de Ontário, localizada no Canadá, é um dos exemplos dessa tendência. O setor de ciências da vida representa cerca de 51% de todos os gastos do Canadá em P&D.

Outras práticas do mercado canadense podem servir de modelo de inspiração para o avanço de pesquisa e desenvolvimento no Brasil.

A montadora GM, por exemplo, anunciou uma expansão de seu centro de P&D na província canadense para a fabricação de carros autônomos.

A previsão é de contratação de 700 engenheiros para o projeto tecnológico – uma demonstração de que além dos avanços em inovação, P&D tem impacto positivo na geração de empregos.

Fundos para inovação

Todd Barrett, cônsul de Ontário / Divulgação
Todd Barrett, cônsul de Ontário / Divulgação

A integração entre o setor privado e o público é fundamental para a inovação.

Em Ontário são investidos, anualmente, 14 bilhões de dólares canadenses em pesquisa e desenvolvimento e há, ainda, diversos fundos que ajudam empresas a tirarem seus projetos do papel.

Um deles é o Eastern Ontario Development Fund, que desde 2013 investiu cerca de 35 milhões de dólares canadenses para projetos que têm como premissa criar empregos, encorajar inovação e colaboração e desenvolver pólos.

Apesar do cenário de instabilidade econômica, a indústria brasileira prevê investimentos de R$ 6,8 bilhões em P&D para este ano, número 4,9% maior do que os R$ 6,5 bilhões de 2015.

Mas incentivos fiscais são necessários para manter investimentos e crescimento.

Em Ontário, há um programa de incentivo no qual o investidor consegue deduzir, a cada 100 dólares canadenses gastos em pesquisa e desenvolvimento, de 37 a 61 dólares canadenses após impostos.

No Brasil, temos a Lei do Bem, que cria a concessão de incentivos fiscais às pessoas jurídicas que realizarem P&D de inovação tecnológica e concede deduções ou reduções nas alíquotas de IRPJ, CSLL e IPI.

Mas ainda temos pontos a melhorar.

Pesquisa acadêmica

Taxas e incentivos fiscais precisam estar interligados com investimentos em educação, que é ponto-chave para o crescimento da área de inovação.

Criar mecanismos para o profissional exercitar o desenvolvimento de novas tecnologias também no ambiente acadêmico é fundamental.

Na província de Ontário, empresas do setor privado investem em universidades para o desenvolvimento de pesquisas.

Essa parceria torna a força de trabalho mais preparada para criar novas tecnologias e também incentiva o empreendedorismo entre jovens profissionais recém-formados.

Reunir os esforços dos setores privados e públicos, além do investimento em educação, são algumas das alternativas para fortalecer a área de pesquisa e desenvolvimento no mercado brasileiro.

Modelos que são aplicados na América do Norte, como o da província de Ontário, podem servir de inspiração para o Brasil potencializar a inovação.

  • Todd Barrett é cônsul comercial de Ontário

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Brasileiros têm concentrado comunicação em aplicativos como o WhatsApp

Como as fintechs ampliam o acesso ao crédito no Brasil

As fintechs, empresas que criam soluções tecnológicas e inovadoras para o mercado de serviços financeiros, têm transformado a economia e o modo como as pessoas se relacionam com suas finanças no mundo e no Brasil. No mercado de crédito, essas empresas, inclusive, têm contribuído significativamente para aumentar o acesso e[…]

Leia mais »
WannaCry explora vulnerabilidade que já era conhecida da comunidade de segurança / Creativity103/Creative Commons

WannaCry é ponto de inflexão na indústria de segurança

Como já é de amplo conhecimento público, o código malicioso WannaCry atingiu escala mundial, afetando, até o momento desta analise, cerca de 200 mil sistemas em mais de 150 países. Desse total, a Rússia aparece como o pais mais afetado, com 113.692 sistema, e o Brasil é o quinto da lista, com[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami