inova.jor

inova.jor

CA: ‘Toda empresa é uma empresa de software’

Software: Mike Gregoire, da CA Technologies, afirma que empresa precisam atualmente ser 'feitas para mudar' / Renato Cruz/inova.jor
Mike Gregoire, da CA Technologies, afirma que empresa precisam atualmente ser ‘feitas para mudar’ / Renato Cruz/inova.jor

LAS VEGAS

O relacionamento de uma empresa com seus clientes e fornecedores está cada vez mais digital. Por causa disso, os processos internos da companhia também precisam estar integrados via software.

“Estamos no amanhecer da quarta revolução industrial, que é movida a software”, afirmou Mike Gregoire, presidente executivo da CA Technologies, durante o evento CA World 2016, realizado esta semana em Las Vegas.

Um clássico dos manuais de administração é Feitas Para Durar (Built To Last, no original em inglês), livro publicado por Jim Collins e Jerry Porras há mais de duas décadas.

Para Gregoire, o cenário mudou e atualmente as empresas precisam ser feitas para mudar (built to change). “Empresas líderes estão reinventando a si mesmas”, disse o executivo.

Fundada há 124 anos, a gigante industrial GE é um exemplo disso.

Gregoire citou Jeff Immelt, presidente da GE, que chegou a afirmar recentemente: “Se você foi deitar na noite passada como uma empresa industrial, vai levantar como uma empresa de software e análise de dados”.

O objetivo da GE é estar entre as 10 maiores companhias de software do mundo até 2020.

Outro exemplo é a rede de pizzarias Domino’s, que tem metade das vendas feitas pelo celular.

“Para mim, a Domino’s é uma empresa de tecnologia, e não de alimentação”, afirmou o presidente da CA Technologies. “A tecnologia tornou-se a principal interface entre sua empresa e seus clientes.”

Agilidade

Mas por que Mike Gregoire falou essas coisas? A CA Technologies oferece ferramentas e serviços para que esse cenário se concretize.

A empresa tem quatro linhas principais de atuação: Agile (ferramentas e metodologia para acelerar planejamento e desenvolvimento), DevOps (soluções para desenvolver, testar, distribuir e operar software), segurança e mainframe.

Nesse cenário de negócios baseados em software, a concorrência pode vir de empresas de outros mercados.

A fabricante de artigos esportivos Under Armour considera concorrentes potenciais companhias de eletrônicos de consumo, como Apple e Samsung. Ela lançou neste ano o Architech, tênis com entressola feita com impressora 3D.

“Atualmente, qualquer pessoa pode vir com uma ideia que muda as regras do jogo”, afirmou Gregoire. “A própria noção de vantagem competitiva está sendo contestada.”

O evento contou com a participação de empresas brasileiras, como Banco Original, Vale, Oi e Embratel, que apresentaram seus casos.

“A transformação digital é o alicerce dessa mudança”, afirmou Marcel Bakker, presidente da CA Technologies no Brasil.

  • O jornalista viajou a convite da CA Technologies

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Mercado de games avança no Brasil

O mercado de games está mundialmente em ascensão e deve gerar US$ 99,6 bilhões até o fim do ano. O valor é 8,5% maior que o mesmo período no ano passado. A estimativa, realizada pela Newzoo, consultoria referência em pesquisas da indústria de games, também prevê movimento positivo no Brasil.[…]

Leia mais »
A Voith criou um mercado digital de papel reciclado nos Estados Unidos / Divulgação

Aos 150 anos, Voith aposta na transformação digital

Fundada em 1867, a Voith fortalece sua presença no mundo digital. O grupo alemão fornece máquinas para setores como energia, petróleo e gás, papel, extração de matérias-primas e transporte e automotivo. Recentemente, criou a divisão Digital Solutions, que reúne suas operações de tecnologia da informação, automação, software e sensoriamento. Diante[…]

Leia mais »

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami