inova.jor

inova.jor

Startup aplica aprendizado de máquina à energia eólica

O Parque de Osório é a segunda maior usina da energia eólica da América Latina / Rodrigo Prado/Creative Commons
O Parque de Osório é a segunda maior usina da energia eólica da América Latina / Rodrigo Prado/Creative Commons

O mercado brasileiro de energia eólica completou dez anos em 2016. Apesar de recente, esse tipo de energia renovável tem atraído investidores interessados em mudar o panorama da energia no País.

Criada no início do ano, a Delfos Predictive Maintenance é uma das apostas para transformar o setor. A startup cearense venceu, em novembro, o primeiro EDP Open Innovation, em Portugal, e trouxe € 50 mil para investir.

Sua equipe combina engenheiros recém-formados pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e profissionais experientes do mercado de energia elétrica do Brasil.

Aprendizado de máquina

Os primeiros meses foram de testes e aprendizado. O grupo contou com mentoria de executivos da EDP em Portugal durante cinco semanas.

“Este ano foi basicamente uma etapa de estruturação da prova de conceito, validação da ideia e da metodologia para realmente ver se a nossa abordagem vai trazer resultados de economia e eficiência operacional da indústria eólica no Brasil e no mundo”, diz Guilherme Studart, diretor executivo da Delfos.

A startup usa a tecnologia de aprendizado de máquina (machine learning) para identificar, preventivamente, possíveis problemas técnicos nos parques eólicos.

A identificação acontece a partir de dados gerados por sensores e relatórios de inspeção e manutenção. O aprendizado de máquina é responsável por estruturar esses dados e tirar significado deles.

“Hoje, quando pensam em manutenção preventiva, falam em instalar novas ferramentas de medição. O que a Delfos faz é aproveitar todas as ferramentas que já existem”, diz Samuel Lima, diretor de operações.

“Com o machine learning, conseguimos aproveitar inúmeros modelos preditivos de várias indústrias diferentes e identificamos os padrões de falhas, gerando conhecimento para o parque eólico e para o mercado”, completa.

O aprendizado de máquina é um ramo da inteligência artificial em que sistemas aprendem com a prática, sendo capazes de fazer previsões cada vez mais precisas conforme vão sendo usados.

Retorno de investimento

Entrar num mercado de tradicional, como o de energia elétrica, com uma proposta baseada totalmente em novas tecnologias não assusta os novos empresários.

Para eles, é uma questão de tempo para que os parques eólicos brasileiros percebam que se utilizar da tecnologia pode ser uma boa oportunidade de aumentar o retorno de investimento de maneira rápida e segura.

“Nossa função é otimizar o desempenho operacional dos parques eólicos e escalar o conhecimento operacional. Apesar de ser um mercado mais tradicional, muitos parques se preocupam com eficiência operacional e no retorno do ativo. É com esses, mais dinâmicos, que estamos fechando parceria”, completa Studart.

O próximo ano será de montar projetos-pilotos em três novos parque de energia eólica na Região Nordeste.

 

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A TegUp é o braço de corporate venture capital da Tegma Gestão Logística / Divulgação

Aceledora TegUp seleciona startups de logística

A TegUp, aceleradora da Tegma Gestão Logística, abre na quinta-feira (1/6) seu processo de seleção de startups de tecnologia na área de logística. As inscrições vão até 30 de julho. O programa dá preferência a empresas com alto potencial de crescimento, que já tenham clientes e receitas recorrentes e estejam prontas para[…]

Leia mais »
Amos Genish, da Vivo, diz que empresas precisam ser mais inovadoras

‘Brasil precisa criar centros tecnológicos’, diz presidente da Vivo

“O Brasil precisa criar centros tecnológicos aqui”, afirmou ontem Amos Genish, presidente da Vivo, durante a inauguração da nova sede da Wayra, aceleradora de startups do grupo espanhol. “Para saírem da crise, as empresas brasileiras precisam inovar mais, para se tornarem mais competitivas.” Segundo Genish, não falta competência aos profissionais[…]

Leia mais »

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami