inova.jor

inova.jor

McKinsey: 50% das atividades podem ser automatizadas

Somente 5% das profissões podem ser totalmente automatizadas / Madeline Gannon/Creative Commons
Somente 5% das profissões podem ser totalmente automatizadas, segundo a McKinsey / Madeline Gannon/Creative Commons

A possibilidade de trabalhadores humanos serem totalmente substituídos por robôs afeta menos de 5% das profissões, segundo estudo da McKinsey.

Mesmo assim, boa parte das atividades será desempenhada por robôs.

“O nível correto de detalhe para se analisar o impacto potencial da automação são as atividades individuais no lugar de ocupações inteiras”, apontou o relatório A future that works: automation, employment, and productivity (Um futuro que funciona: automação, emprego e produtividade).

Segundo a consultoria, quase toda profissão tem um potencial parcial de automação, pois uma parte de suas atividades pode ser exercida por máquinas.

A estimativa da McKinsey é que cerca de metade de todas as atividades pelas quais as pessoas são pagas pode ser automatizada, adaptando-se tecnologias existentes atualmente.

“Isso equivale a quase US$ 16 trilhões em salários”, informou o relatório.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Recrutadores têm dificuldade de encontrar profissionais qualificados de tecnologia da informação / Leonardo Rizzi/Creative Commons

Brasil e União Europeia vão investir R$ 52 milhões em projetos de tecnologia

Brasil e União Europeia vão investir € 16 milhões (R$ 52 milhões) em projetos de tecnologia da informação e comunicação nas áreas de internet das coisas, computação em nuvem e redes de quinta geração (5G). A 4ª Chamada Coordenada Brasil-União Europeia em Tecnologias da Informação e Comunicação foi lançada pelo Ministério[…]

Leia mais »
Em Florianópolis, as empresas de tecnologia já são as maiores geradoras de ISS para os cofres públicos / Divulgação

‘Precisamos acordar e usar a inovação para vencer a crise’

A última edição do Índice de Inovação da Bloomberg, divulgado no começo deste ano, coloca o Brasil numa situação bastante desconfortável. Entre as 50 economias mais inovadoras do estudo, estamos na 46ª posição. Atrás de nós estão países como Chipre, Cazaquistão e Marrocos, que não são notadamente reconhecidos pela vocação tecnológica.[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami