inova.jor

inova.jor

Só a banda larga cresce nas telecomunicações brasileiras

Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons
O Brasil ganhou 1,1 milhão de novos clientes de banda larga fixa no ano passado / mohsend72/Creative Commons

No ano passado, a banda larga fixa foi o único serviço de telecomunicações que cresceu no Brasil, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O País ganhou 1,1 milhão de novos acessos, o que representou um crescimento de 4,33% sobre 2015. Em novembro e dezembro, no entanto, a banda larga fixa apresentou queda de 0,58%, o que indica desaceleração.

A telefonia móvel foi o serviço que apresentou a maior queda, com perda de 13,7 milhões de linhas (5,3% do total), apesar do avanço da quarta geração (4G).

A TV paga também teve queda de 1,63% na base de assinantes, com a perda de 311,3 mil contratos, enquanto as linhas fixas mantiveram a tendência de queda registrada em outros anos.

O Brasil perdeu 1,8 milhão de telefones fixos em 2016.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O Brasil precisa definir frequências e participar ativamente da definição do padrão de 5G / Ericsson/Divulgação

5G traz as comunicações móveis para a era do gigabit

A quinta geração (5G) coloca as comunicações móveis na era do gigabit. A tecnologia deve permitir acessos a 1 gigabit por segundo (Gbps), velocidade conseguida atualmente em acessos fixos de fibra óptica. Além disso, é componente essencial da internet das coisas (IoT, na sigla em inglês), ao oferecer latência (tempo[…]

Leia mais »
Telefonia móvel acabou se tornando responsável pela universalização das telecomunicações / Geraldo Magela/Agência Senado

Expansão do setor melhora a competitividade

As telecomunicações são ferramentas essenciais para a inovação em todos os setores da economia, e as empresas brasileiras encontram-se num momento em que precisam aumentar sua capacidade de competir no cenário mundial. Na edição mais recente do Relatório de Competitividade Global, do Fórum Econômico Mundial, o Brasil caiu seis posições e[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami