inova.jor

inova.jor

Samsung investe na marca depois dos problemas com o Note 7

Note 7: Antonio Quintas, diretor sênior de Mobile da Samsung, apresenta os novos modelos A5 e A7 / Mariana Lima/inova.jor
Antonio Quintas, diretor da Samsung, apresenta os novos modelos Galaxy A5 e A7 / Mariana Lima/inova.jor

A Samsung vai investir pesado em marketing neste ano para reforçar sua marca no Brasil.

A decisão foi tomada depois dos problemas enfrentados em 2016 pelo Galaxy Note 7, um de seus aparelhos de topo de linha, que foi retirado do mercado mundial depois de dezenas de celulares pegarem fogo.

“O Brasil é um mercado muito importante para a Samsung e por isso temos um plano agressivo de mostrar para o consumidor que os novos lançamentos e a inovação da marca são seguros”, disse Loredana Mariotto, diretora de marketing da Samsung Brasil.

Sem abrir números, Mariotto disse que o investimento da marca no País será tão agressivo quanto no ano passado. Grande anunciante no Brasil, a empresa foi, em 2016, uma das patrocinadoras dos Jogos Olímpicos.

O investimento faz parte de uma estratégia internacional. A empresa tenta demonstrar, por meio de novos produtos e marketing, que o problema do Note 7 não se repetirá.

“É importante ficar claro que o problema da bateria aconteceu só com esse modelo. Mudamos o processo de desenvolvimento de baterias novas, e os processos de fabricação e o controle da qualidade das baterias atuais também foram alterados. Todos produtos, durante o processo de fabricação, já estão usando o novo sistema”, disse André Varga, diretor de Produtos Mobile da Samsung Brasil.

Relatório final

No começo da semana, a Samsung divulgou o relatório final de análise do Galaxy Note 7. Segundo a empresa, ficaram constatados dois problemas em baterias fornecidas por terceiros.

A bateria de um fabricante mostrou “danos nos enrolamentos de eletrodos negativos no canto da célula da bateria, mais próximo do pólo negativo”.

Assim, ao entortar no bolso de uma calça, por exemplo, a bateria gerava um curto-circuito.

A bateria do outro fabricante apresentava uma falha de soldagem, que também levava ao superaquecimento e explosão.

Ainda conforme o relatório, não foram encontrados outros problemas em hardware e software do modelo. O Galaxy Note 7 não chegou a ser vendido no Brasil.

A empresa anunciou uma série de medidas para que o problema não volte a acontecer.

Pagamentos e novos aparelhos

A empresa apresentou hoje (27/01) os novos aparelhos da linha Galaxy A e reforçou a promoção do meio de pagamento eletrônico Samsung Pay.

A partir da próxima semana, estarão à venda os aparelhos Samsung A5 (R$ 2.099) e Samsung A7 (R$ 2.299), ambos voltados para o público jovem.

A promoção de lançamento prevê, para os 5 mil primeiros cadastros no site, um fone de ouvido sem fio gratuito e R$ 100 de crédito no Samsung Pay.

Segundo Varga, 96% das lojas no Brasil já aceitam o sistema eletrônico de pagamentos.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Com dívida de R$ 65,4 bilhões, a Oi entrou ontem com pedido de recuperação judicial / Pablo Gonzalez/Creative Commons

O que significa o pedido de recuperação judicial da Oi

A Oi é a concessionária de telefonia fixa em todos os Estados, menos em São Paulo, e é a quarta maior operadora de celular do País. Ontem (20/6), entrou com um pedido de recuperação judicial, declarando uma dívida de R$ 65,4 bilhões. Mas quais são os efeitos desse pedido? Ele[…]

Leia mais »
O aeroporto de Curitiba é um dos pontos com hotspot wi-fi da Linktel / Infraero/Divulgação

Cresce o acesso à internet financiado por publicidade

O que você acha de ver um anúncio para poder navegar na internet de graça? Operadoras de telecomunicações começam a apostar no modelo de publicidade para ampliar suas fontes de receita. Em maio, a Vivo lançou um serviço chamado Data Rewards, em que o cliente do celular tem a opção[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami