inova.jor

inova.jor

E-commerce brasileiro tem menor crescimento da história

E-commerce brasileiro cresce 7,4%, menor número já registrado / Juan Alvarado/Creative Commons
E-commerce brasileiro cresce 7,4%, menor avanço já registrado / Juan Alvarado/Creative Commons

Pela primeira vez na história, o comércio eletrônico brasileiro cresceu apenas um dígito. O setor fechou 2016 com faturamento de R$ 44,4 bilhões, avanço de 7,4% sobre o ano anterior.

Os dados foram divulgados ontem (16/2) pela consultoria Ebit, que começou a acompanhar os números do varejo digital em 2001.

Segundo o relatório Webshoppers 35, o número de pedidos permaneceu estável, em 106,3 milhões, enquanto o tíquete médio registrou alta de 8%, passando de R$ 388 para R$ 417.

O número de e-consumidores ativos cresceu 22%, para 47,93 milhões. As vendas via dispositivos móveis (tablets e smartphones) concentraram 21,5% das transações em 2016, ante 12,5% do ano anterior.

A renda familiar média entre os consumidores digitais aumentou 8%. Isso demonstra o enfraquecimento da classe C no e-commerce e maior participação de pessoas de maior poder aquisitivo.

Retomada do crescimento

Para este ano, o e-commerce brasileiro deve voltar registrar crescimento de dois dígitos, com previsão de faturar R$ 49,7 bilhões, o que representa aumento nominal de 12%.

O relatório prevê 40% de avanço nas compras feitas por meio de dispositivos móveis no comércio eletrônico. A expectativa é que 32% das transações sejam feitas em smartphones e tablets.

As cinco categorias mais vendidas, em volume de pedidos

  • Moda e acessórios – 13,6%
  • Eletrodomésticos – 13,1%
  • Livros/assinaturas/apostilas – 12,2%
  • Saúde/cosméticos/perfumaria – 11,2%
  • Telefonia e celulares – 10,3%

As 5 categorias mais vendidas, em faturamento

  • Eletrodomésticos – 23%
  • Telefonia/celulares – 21%
  • Eletrônicos – 12,4%
  • Informática – 9,5%
  • Casa e decoração – 7,7%

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Curso da THNK será oferecido no Brasil em junho / Divulgação

Quais são os desafios de ser um líder inovador

A inovação exige trabalho duro. Um grande desafio das empresas é, depois de coletar ideias, colocar em prática os projetos de inovação. Mark Vernooij, sócio da THNK, escola holandesa de liderança criativa, conversou com o inova.jor, sobre os desafios de ser um líder inovador. Ele destacou cinco características: É preciso[…]

Leia mais »

Investidores brasileiros buscam bitcoins

Num cenário de crise, faz sentido investir em bitcoins? Com a desvalorização do real e a expectativa de cobrança de impostos sobre transações, com um possível retorno da CPMF, os investidores brasileiros buscam alternativas de investimento. O bitcoin é uma moeda virtual anônima, que não está vinculada a nenhum banco central, e[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami