inova.jor

inova.jor

Aplicativo detecta quantas vezes mulheres são interrompidas por homens

Woman Interrupted: Aplicativo brasileiro quer contar quantidade de vezes que ocorre manterrupting / Nacho/Creative Commons
Aplicativo brasileiro quer contar quantidade de vezes que ocorre manterrupting / Nacho/Creative Commons

“Direitos iguais começam com igualdade de vozes.” Esse é o mote do aplicativo brasileiro Woman Interrupted, que pretende calcular quantas vezes mulheres são interrompidas por homens durante conversas.

A interrupção masculina durante a fala feminina é conhecida como “manterrupting”. O termo é apresentado como um tipo de violência contra a mulher.

O debate sobre manterrupting tem sido constantemente levantado por grupos feministas, principalmente após o processo eleitoral nos Estados Unidos.

À época, um levantamento mostrou que, somente durante o primeiro debate eleitoral, o então candidato Donald Trump interrompeu 51 vezes a fala da sua rival, Hillary Clinton.

Woman Interrupted

Desenvolvido pela agência BETC São Paulo, aplicativo brasileiro é gratuito e está disponível em quatro línguas.

Ao ser configurado por uma fala feminina e ter o microfone habilitado, registra quantas vezes ao dia a mulher proprietária do celular foi interrompida durante conversas com homens.

Os dados, segundo o aplicativo, são sigilosos e as conversas não são armazenadas ou gravadas. As informações alimentarão um banco de dados online que informará a média de vezes, local e horários em que o manterrupting ocorre no mundo.

A BETC São Paulo informa que o aplicativo não tem fins lucrativos.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Startup brasileira quer conquistar espaço no mercado internacional de publicidade / Antonio Rublo/Creative Commons

Startup de publicidade móvel aposta em geolocalização

Surgida como um trabalho de estudantes de Ciência da Computação da Universidade Federal de Pernambuco, a startup In Loco Media aposta em publicidade geolocalizada em ambientes fechados. A tecnologia usa os sensores de radiofrequência e de navegação do smartphone para mapear a localização de uma pessoa com precisão de um a três metros, muito[…]

Leia mais »
O conceito de indústria 4.0 acrescenta uma camada de inteligência à produção automatizada / Reinhard Winkler/Creative Commons

Philip K. Dick, nosso contemporâneo: ‘Somos nós ou a rede’

Apesar de ter morrido há décadas, Philip K. Dick é nosso contemporâneo. Suas distopias tratam de questões que a tecnologia nos impõe hoje. A inteligência artificial foi  por muito tempo uma promessa. Com o aprendizado de máquina, já aconteceu. Computadores conseguem aprender coisas sem que tenham sido programados, e sem[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami