inova.jor

inova.jor

Por que a TV analógica vai ser desligada amanhã em São Paulo

TV analógica: O aparelho de tubo não precisa ir para o lixo: ele pode ser usado com um conversor e uma antena UHF / Roberto Tietzmann/Creative Commons
O aparelho de tubo pode continuar a ser usado com um conversor e uma antena UHF / Roberto Tietzmann/Creative Commons

O desligamento da TV analógica está marcado para amanhã (29/3) em São Paulo. Hoje, o Grupo de Implantação da TV Digital (Gired) decidiu que a cidade tem condições para ter somente o sinal digital.

Segundo o Ibope, 92% das residências da região metropolitana de São Paulo estão prontas para ver a TV digital.

A pesquisa foi encerrada na sexta-feira passada. Naquela data, 95% dos lares tinham recepção de TV digital aberta, por parabólicas ou por TV paga.

Até amanhã, devem ser distribuídos 1,2 milhão de kits gratuitos com conversores e antenas UHF, para recepção do sinal digital em aparelhos analógicos.

Esses kits são oferecidos para famílias inscritas em programas sociais do governo federal. Dos que recebem Bolsa Família, 91% estão preparados para a TV digital. Entre os participantes de outros programas, o percentual cai para 89%.

Importância

A TV digital estreou no Brasil em São Paulo, há quase 10 anos, em dezembro de 2007. A TV analógica chegou ao País também por São Paulo, em 1950, com a TV Tupi.

A televisão ainda é o meio de comunicação mais importante do País. Ela está presente em 97% das residências brasileiras, segundo o IBGE.

Apesar de todo o crescimento da internet, o acesso ainda é limitado a cerca de 60% da população.

E a televisão consumida no Brasil é a TV aberta. Depois de ter atingido um pico de 19,5 milhões de assinantes em 2014, a televisão por assinatura tem perdido clientes, chegando a 18,6 milhões no mês passado.

Os canais de TV analógica serão usados pelas operadoras para prestar o serviço de comunicação móvel de quarta geração (4G).

O desligamento inclui a capital de São Paulo e outros 38 municípios. Ele afeta somente a TV aberta.

A faixa de frequência de 700 MHz, em que está o sinal analógico, permite raios de cobertura maiores do que a faixa atual (2,5 GHz) e melhor recepção dentro de edifícios.

O sinal analógico já foi desligado em Brasília e Rio Verde (GO).

Reciclagem

Quem ainda tem TV de tubo e quer se desfazer dele pode recorrer à Coopermiti, cooperativa de lixo eletrônico.

Se não forem descartados corretamente, os aparelhos podem liberar no ambiente substâncias tóxicas como mercúrio, cádmio e cromo.

A cooperativa cobra entre R$ 5 e R$ 10 para receber cada televisor.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O Brasil precisa definir frequências e participar ativamente da definição do padrão de 5G / Ericsson/Divulgação

5G traz as comunicações móveis para a era do gigabit

A quinta geração (5G) coloca as comunicações móveis na era do gigabit. A tecnologia deve permitir acessos a 1 gigabit por segundo (Gbps), velocidade conseguida atualmente em acessos fixos de fibra óptica. Além disso, é componente essencial da internet das coisas (IoT, na sigla em inglês), ao oferecer latência (tempo[…]

Leia mais »
Para Sherry Turkle, a conectividade tem tirado nossa capacidade de ficar sozinhos

Estamos perdendo a capacidade de conversar por causa do smartphone?

Ciberespaço é um conceito que já não faz sentido, e seu próprio criador, o escritor William Gibson, admite isso. Antes, nos conectávamos para ir a um mundo virtual. Hoje, estamos o tempo todo conectados, com um smartphone no bolso e várias telas ao nosso redor a mostrar informações digitais. Mas quais os impactos dessa hiperconectividade[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami