inova.jor

inova.jor

Para onde vai o mercado de relógios inteligentes

O smartwatch da Apple deixou recentemente de ter aplicativos importantes como Google Maps / informedmag.com/Creative Commons
O smartwatch da Apple deixou de ter aplicativos importantes como Google Maps / informedmag.com/Creative Commons

O relógio inteligente (ou smartwatch) já foi apontado o sucessor do smartphone como grande sucesso do mercado de eletrônicos de consumo. Mas a previsão não se concretizou.

No ano passado, as vendas mundiais do produto apresentaram, pela primeira vez na história, queda em faturamento (de 2%, segundo a consultoria Strategy Analytics).

Atualmente, é um mercado dominado pela Apple (que ficou com uma fatia de 55% das vendas em 2016, comparados a 11,4% da segunda colocada, a Samsung).

Mesmo assim, várias empresas importantes têm acabado com a versão de seus aplicativos para Apple Watch.

Segundo o site Apple Insider, recentemente aplicativos importantes como Google Maps, eBay e Amazon deixaram de ter sua versão para o smartwatch da Apple.

Competição

Apesar do avanço de fabricantes chineses, o mercado de relógios inteligentes é basicamente da Apple e da Samsung.

No ano passado, competidores importantes descontinuaram seus produtos como a Moto (marca que hoje pertence à Lenovo) e a Pebble.

Essas mudanças acontecem num momento em que o próprio futuro dos smartphones é questionado.

As vendas de celulares inteligentes está desacelerando, com as taxas de crescimento anual caindo para um dígito. E, uma década depois do lançamento do primeiro iPhone, as inovações parecem ter estagnado também.

Mesmo assim, o mercado de smartphones continua a ser muito maior do que qualquer vestíveis, com 1,47 bilhão de unidades vendidas no ano passado.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O robô Baxter, da Rethink Robotics, é treinado, no lugar de ser programado / Divulgação/Rethink Robotics

O que falta para o Brasil ingressar na era da indústria 4.0

As fábricas brasileiras precisam ingressar na quarta fase da Revolução Industrial, a chamada indústria 4.0, para conseguir disputar de igual para igual o mercado internacional. Essa é a conclusão do evento Sasi 4.0, realizado hoje (30/9) na Universidade de São Paulo (USP), que contou com especialistas de diversos setores em debates sobre a aplicabilidade[…]

Leia mais »
A Neurotech usa o reconhecimento facial para combater fraudes no varejo / Divulgação

Reconhecimento facial pode ser usado até em pagamentos

Grandes varejistas são vítimas de tentativas diárias de fraude. Com documentos falsos, criminosos tentam tirar cartões de crédito ou conseguir crediários. Segundo Wagner Coppede Jr., diretor de Soluções e Engenharia da NEC no Brasil, são registradas em média 5 mil tentativas diárias de fraude em lojas brasileiras. Para combater esse[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami