inova.jor

inova.jor

Vivo Empresas quer crescer com serviços de nuvem

Alex Salgado, da Vivo Empresas, promete serviços de nuvem de 10% a 30% mais baratos / Renato Cruz/inova.jor
Alex Salgado, da Vivo Empresas, promete serviços de nuvem de 10% a 30% mais baratos / Renato Cruz/inova.jor

A Vivo Empresas, divisão de serviços corporativos da Telefônica Brasil, anunciou hoje (12/6) uma ampliação do serviço de nuvem Vivo Cloud Plus.

A empresa tem uma parceria com a VMware, fornecedora de software, e com a Huawei, responsável pelos equipamentos.

Os serviços são prestados a partir de nove data centers da Telefônica espalhados pelo mundo, sendo um deles no Brasil, em Barueri (SP).

A VMware é líder no mercado de software de virtualização, usado em nuvens privadas (que usam infraestrutura própria das empresas que as utilizam).

A Vivo Empresas espera que a parceria com a empresa de software de virtualização facilite implementar soluções de nuvem híbrida, que combina infraestruturas pública e privada.

Crescimento

Os serviços fixos da Telefônica enfrentam um desafio de crescimento.  No primeiro trimestre deste ano, a receita líquida das operações fixas caíram 2,2%, para R$ 4,1 bilhões.

O faturamento com dados corporativos e tecnologia da informação subiram 1,9%, para R$ 478 milhões.

Segundo Alex Salgado, vice-presidente de serviços corporativos da Telefônica Vivo, o Cloud Plus consegue ser de 10% a 30% mais barato do que concorrentes de nuvem pública, como Amazon Web Services e Microsoft Azure.

O produto tem como alvo empresas médias e grandes, com mais de 50 funcionários.

A ideia é aproveitar o crescimento do mercado global de nuvem, com expansão prevista de 18% para este ano, chegando a US$ 246,8 bilhões, de acordo com o Gartner.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Ransomware WannaCry afetou computadores do sistema de saúde do Reino Unido / Megan Trace/Creative Commons

Ataque global de ransomware evidencia ameaça de US$ 280 bilhões

Ransomware é um tipo de ataque digital usado por criminosos para tomar dados de computadores como reféns e exigir resgate para liberá-los. Na sexta-feira (12/5), mais de 200 mil computadores em mais de 100 países foram infectados pelo ransomware WannaCry. Segundo a auditoria Grant Thornton, os ataques virtuais causaram prejuízo a empresas[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami