inova.jor

inova.jor

Setor de tecnologia é o segundo na ocupação de escritórios

O setor de tecnologia da informação só perde para o financeiro na ocupação de escritórios em São Paulo / Renato Cruz/inova.jor
O setor de tecnologia da informação só perde para o financeiro na ocupação de escritórios em São Paulo / Renato Cruz/inova.jor

As empresas de tecnologia da informação estão em segundo lugar na ocupação de escritórios em São Paulo, segundo pesquisa da SiiLA Brasil.

No fim do segundo trimestre, eram 309,8 mil metros quadrados ocupados, o que corresponde a 7% dos espaços monitorados pela plataforma de dados do mercado de imóveis comerciais de alto padrão.

Em primeiro lugar, está o setor financeiro.

As empresas do setor de tecnologia que mais ocupam espaço na capital paulista são IBM, Contax e Oracle.

Crescimento

A oferta de escritórios corporativos de alto padrão em São Paulo cresceu 2,46% no trimestre passado, chegando a 2,647 milhões de metros quadrados.

A taxa de vacância na cidade está em 25%. A região com a menor taxa é o Itaim Bibi, com 6%, e a região com a maior taxa é a Chácara Santo Antônio, com 55%.

Segundo Giancarlo Nicastro, presidente da SiiLA, devem ser entregues 123 mil metros quadrados de área até o fim do ano, o que deve fazer com que a vacância suba.

 

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Cintia Barcelos reconhece o desafio de aumentar a representatividade feminina em exatas / Divulgação

IBM Brasil tem sua primeira mulher ‘distinguished engineer’

Cintia Barcelos conquistou o título de distinguished engineer (engenheira distinta) na IBM Brasil. Funcionária da empresa há 24 anos, é a primeira mulher na IBM América Latina a ocupar essa função. Além do vasto conhecimento técnico, o título reconhece a capacidade de influenciar o desenvolvimento de produtos da empresa, de[…]

Leia mais »
A empresa brasileira Blanver aposta em inovação para melhorar produtos já existentes / Divulgação

O que falta para aumentar a pesquisa na indústria farmacêutica

A saúde é um setor intensivo em pesquisa e desenvolvimento (P&D). Os investimentos da indústria farmacêutica, no entanto, devem crescer pouco nos próximos anos. O relatório 2016 Global Life Sciences Outlook, da Deloitte, analisou as perspectivas globais do setor farmacêutico. Segundo o estudo, os gastos de P&D devem subir somente 2,4% entre[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami