inova.jor

inova.jor

Claro Brasil investe em geração de energia limpa

José Antonio Felix anunciou a primeira fazenda de energia solar da Claro / Renato Cruz/inova.jor
José Antonio Felix anunciou o primeiro parque de geração de energia solar da Claro / Renato Cruz/inova.jor

A Claro Brasil anunciou ontem (14/12) um programa de geração distribuída de energia limpa.

Controlada pela mexicana América Móvil, a operadora tem como meta reduzir em mais de 100 mil toneladas métricas a emissão de dióxido de carbono por ano. Isso equivale a tirar quase 420 mil carros de circulação.

Além da Claro, a empresa é dona das marcas Embratel e NET. Segundo a operadora, trata-se do maior projeto de geração distribuída de uma empresa privada no país.

Energia renovável

A fontes renováveis utilizadas serão:

  • solar,
  • eólica,
  • hidrelétrica,
  • biogás e
  • cogeração qualificada (termelétrica).

O objetivo é que o programa forneça 80% da energia utilizada pelas operações da operadora em todo o Brasil, o que corresponde a mais de 600 mil MWh/ano.

Em novembro, a Claro inaugurou um complexo de usinas solares nas cidades de Várzea de Palmas e Buritizeiro, em Minas Gerais.

O complexo ocupa 45 hectares, e gera energia suficiente para suprir uma cidade de 250 mil habitantes.

“Recentemente, inauguramos Andrômeda, a primeira fazenda de energia solar a trabalhar para a Claro”, destacou José Antônio Félix, presidente da empresa no Brasil.

Menos gastos

No ano que vem, a Claro planeja inaugurar mais 20 parques solares, quatro parques eólicos e três operações de cogeração qualificada.

Durante 2018 também será incorporada ao projeto energia gerada por pequenas centrais hidrelétricas.

A empresa estima redução média de 30% nas despesas anuais com energia.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A União Europeia anunciou uma iniciativa para levar banda larga para todas as pessoas e empresas / Groman123/Creative Commons

Setor precisa de novas políticas públicas

Quando a Lei Geral de Telecomunicações (LGT) foi criada, os definidores do marco regulatório estudaram modelos adotados para as telecomunicações em várias partes do mundo. Políticas públicas internacionais de sucesso costumam permear as discussões sobre melhorias no mercado nacional. Numa época de mudanças estruturais e de revisão do modelo regulatório[…]

Leia mais »
Serviços como Netflix tem reduzido a demanda por TV paga / Divulgação/Netflix

Como o vídeo por streaming afeta a TV paga

No ano passado, o Brasil perdeu assinantes de TV paga pela primeira vez. Foram cerca de 500 mil pessoas que desligaram seus serviços de cabo ou satélite. Parte disso foi resultado da crise. Outra parte foi uma tendência que já acontece há algum tempo fora do Brasil, chamada “cord cutting”.[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami