inova.jor

inova.jor

Telefónica Open Future busca startups digitais

Telefónica Open Future: Em parceria com Inatel e Ericsson, o Crowd Vale da Eletrônica vai abrigar 15 startups / Divulgação
Em parceria com Inatel e Ericsson, o Crowd Vale da Eletrônica vai abrigar 15 startups / Divulgação

A Telefónica Open Future vai selecionar 66 startups com projetos de base tecnológica para processo de pré-aceleração em quatro espaços que mantém com parceiros.

As inscrições terminam em 5 de junho.

Os espaços que fazem parte da convocatória são:

  • Crowd Facens Sorocaba, no Centro de Empreendedorismo da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens), com 15 vagas;
  • Crowd Londrina, na Universidade Estadual de Londrina (UEL), em parceria com o Sebrae-Paraná, com 20 vagas;
  • Crowd Rio, em parceria com o Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 16 vagas; e
  • Crowd Vale da Eletrônica, no Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí (MG), em parceria com a Ericsson, com 15 vagas.

As startups devem atuar em áreas como:

  • Internet das coisas (IoT, na sigla em inglês),
  • soluções digitais em telecomunicações,
  • agronegócio inteligente (agtech),
  • big data,
  • inteligência artificial,
  • End to End (E2E),
  • cidade inteligente, e
  • computação em nuvem.

Investimento

Os empreendedores terão acesso a capacitação, workshops e eventos, além de acesso a investidores e ao mercado. Eles também terão oportunidade de pleitear novo apoio ao Open Future, por meio da Wayra, que investe em startups.

Presente em 16 países, a Telefónica Open Future já investiu em mais de 800 startups. O Grupo Telefônica controla a Vivo.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O SAS também planeja lançar uma competição para resolver desafios de negócio com inteligência analítica / Divulgação

SAS prepara programa de apoio a startups

O SAS, empresa especializada em sistemas de análise de dados, planeja lançar neste ano no Brasil o programa Startup Now Analytics. A ideia é escolher até três startups e apoiá-las com: tecnologia analítica, infraestrutura e espaço de coworking. “Vamos abrir um processo de seleção pública”, disse Bruno Maia, líder de[…]

Leia mais »
Baixos custos e pouco tempo de curso atraem estudantes para startups de e-learning / Chris Devers / Creative Commons

Startups de educação à distância crescem na crise

O mercado de educação à distância está em ascensão. Com custos mais baixos e aulas interativas, o modelo tem atraído pessoas que querem se especializar, mas que contam com pouco tempo e dinheiro. As startups voltadas para educação são vistas como promissoras. Surgida em 2011, a Descola quer preencher lacunas pouco exploradas pelas[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami