inova.jor

inova.jor

O que blockchain e inteligência artificial têm a ver com carros

O aluguel de carros ou seu financiamento são apenas uma das possíveis aplicações do blockchain / Renato Cruz/inova.jor
O aluguel de carros ou seu financiamento são apenas uma das possíveis aplicações do blockchain / Renato Cruz/inova.jor

Alugar um carro pode ser um processo demorado. Você tem de se deslocar, esperar o atendente preencher os formulários, verificar e assinar antes mesmo de ver as chaves.

É incômodo, mesmo quando você se lembra de trazer sua habilitação. Estamos tão acostumados a passar por esse processo que é difícil imaginar que exista uma maneira mais conveniente, mas, para sua tranquilidade, existe.

Imagine poder andar até um carro e alugá-lo com um microempréstimo, que aprovaria seu uso por uma tarde. Junto a esse microempréstimo, estaria o contrato de seguro, histórico dos motoristas, serviços e outras informações relevantes do carro.

Depois de alugar o carro com sucesso, um registro da sua viagem, incluindo interações com pedágios e câmeras de vigilância, para citar alguns cenários, é automaticamente adicionado à auditoria do carro.

Esse cenário pode parecer distante, mas tudo já é possível hoje. Você pode se surpreender ao ouvir que a tecnologia blockchain que possibilita tudo isso.

O aluguel de carros ou seu financiamento são apenas uma das possíveis aplicações do blockchain, mas, seguindo esse exemplo, podemos ter uma noção de como essa tecnologia pode ser revolucionária para a prestação de serviços financeiros.

Registro dos eventos

Scott Zoldi, da FICO / Divulgação
Scott Zoldi, da FICO / Divulgação

Quando você escuta blockchain, provavelmente pensa bitcoin. Embora seja verdade que é a tecnologia que sustenta o bitcoin, suas possibilidades são muito mais amplas.

De fato, os gastos mundiais em soluções blockchain devem chegar a U$ 2,1 bilhões neste ano, mais que o dobro do valor gasto em 2017.

Além do processamento de criptomoedas, a tecnologia blockchain também pode ser usada para registrar uma sequência de eventos relacionados a históricos de contratos, interações e ocorrências, como no cenário de aluguel de carros descrito acima.

Essas cadeias temporais criptografam as identidades das pessoas e dos itens com os quais elas interagem, pois a blockchain distribuída cria uma fonte única e inquestionável de verdade.

A variedade de possibilidades para essas cadeias de tempo auditáveis é ampla. Imagine, por exemplo, aplicá-las ao rastreamento de componentes defeituosos dos veículos afetados.

Isso pode transformar o gerenciamento de falhas de segurança e acabar com recalls massivos e ineficientes de hoje.

Sequência de dados

Mas não são só os eventos cronometrados que podem ser rastreados num blockchain, os dados podem ser também.

Um carro, por exemplo, gera milhares de interações por ano com diferentes motoristas, outros carros, postos de gasolina, semáforos e câmeras.

Com essas interações, o carro cria dados, além de entender o que é rotina e o que não é.

Quando você adiciona inteligência artificial (IA), é possível obter insights a partir das complexas redes de relacionamentos que existem entre essas cadeias de eventos de dados.

Por exemplo, é possível identificar períodos de má condução, colisões pequenas e até mesmo consertar o carro antes que certas peças quebrem.

Por fim, anexando pontuação a essas redes, com base em cadeias de deslocamento e gráficos, surge um poder de previsão notável. Isso abre um mundo de possíveis aplicações:

Carros usados

Ao usar o blockchain e o IA para registrar dados, é possível informar ao comprador sobre a vida de um carro, o que eliminaria grande parte da incerteza na aquisição de um veículo usado.

Além disso, seria muito mais fácil entender se o carro sofreu um acidente, o histórico de proprietários e se tem algum tipo de reparação previa.

Direção defensiva

A ascensão de carros autônomos, sem motorista, levanta uma nova questão: o quanto você pode confiar no carro à sua frente? Você deveria tomar outro caminho ou mudar de faixa?

Os blockchains ajudarão os motoristas a tomarem decisões mais inteligentes e informadas sobre segurança no trânsito.

Risco de seguro

O blockchain ajudará as seguradoras a conhecer e avaliar as práticas de segurança dos motoristas e reclassificar os níveis de risco.

As duas tecnologias juntas (blockchain e a inteligência artificial) têm o poder de transformar a experiência do transporte do futuro, além de abrir novas perspectivas de gerenciamento inteligente de processos em serviços financeiros.

  • Scott Zoldi é diretor de analytics da FICO

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Oi aposta em aplicativos após pedido de recuperação judicial

Com uma dívida de R$ 65,4 bilhões discutida em processo de recuperação judicial, a operadora de telecomunicações Oi foi buscar inspiração nas startups para tentar sair da crise. A reformulação estrutural da companhia ocorre desde janeiro, com a criação de um departamento digital, chefiado por Maurício Vergani, diretor de Estratégia[…]

Leia mais »
BCG Gamma busca soluções para a educação pública / Divulgação

BCG promove competição de análise avançada de dados

BCG Gamma busca soluções para a educação pública / Divulgação O BCG Gamma promove um desafio de análise de dados e inteligência artificial. Os interessados podem se inscrever no site do evento até 30 de setembro. Voltada a universitários e jovens profissionais, BCG Gamma Challenge é uma parceria da unidade[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami