inova.jor

inova.jor

Governo Trump estuda criar rede estatal 5G

Governo Trump quer defender comunicações dos EUA da espionagem chinesa / Gage Skidmore/Creative Commons
Governo Trump quer defender comunicações dos EUA da espionagem chinesa / Gage Skidmore/Creative Commons

O Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos estuda criar uma rede estatal de comunicações móveis com tecnologia de quinta geração (5G), com o objetivo de defender o país de espionagem da China.

O site Axios divulgou apresentação de um dos representantes da Segurança Nacional do governo Donald Trump. A informação foi confirmada por outros serviços noticiosos, como a Reuters.

A criação de uma rede estatal seria medida incomum nos Estados Unidos. Mesmo enquanto manteve o monopólio das telecomunicações naquele país, até 1982, a AT&T era uma empresa privada.

O documento do governo dos EUA aponta a necessidade de o país ter uma “rede 5G centralizada, com cobertura nacional”, num período de três anos.

Entre as opções estudadas estão:

  • Que o governo construa sua própria rede; ou
  • Que as operadoras privadas deixem de lado o modelo comercial atual e unam-se num consórcio para construir a rede.

Os integrantes do governo Trump comparam o projeto ao sistema de estradas interestaduais criado durante o governo Dwight Eisenhower, em 1956.

Ameaça de segurança

A apresentação aponta as seguintes ameaças, para justificar o plano:

  • “A China assumiu uma posição dominante na fabricação e operação de infraestrutura de rede”; e
  • “A China é um ator dominante e mal-intencionado no domínio da informação”.

A proposta chega a sugerir a exportação do trabalho dos EUA numa rede 5G segura para mercados emergentes, com o objetivo de proteger “democracias aliadas” do “comportamento neocolonial” chinês.

A tecnologia 5G ainda se encontra em processo de padronização. Apesar disso, operadoras norte-americanas como AT&T, Verizon e T-Mobile já começaram a investir nessa área.

Atualmente, os principais fabricantes de infraestrutura são a chinesa Huawei, a sueca Ericsson e a finlandesa Nokia.

O governo dos EUA já impede que grandes operadoras do país adotem equipamentos da Huawei, por questões de segurança.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Compradores e suas equipes fazem estimativas genéricas sobre riscos cibernéticos / Arden/Creative Commons

Como riscos cibernéticos podem afetar fusões e aquisições

Diariamente acontecem, nos mais diversos segmentos de mercado e países, muitas fusões e aquisições de empresas. Também ocorrem processos públicos de concessões de ativos governamentais, em que a gestão fica sob responsabilidade da iniciativa privada, ou ainda em modelos de parceria público-privada (PPP). Advogados das principais bancas, auditores qualificados e[…]

Leia mais »
Samsung lançará o BixBy no Brasil nos aparelhos S8 e S8+ a partir de junho / Mariana Lima / inova.jor

Samsung traz ao Brasil assistente pessoal que só se comunica em inglês

A Samsung criou a Bixby para entrar no mercado de assistentes pessoais dotadas de inteligência artificial. O sistema responde a comandos de voz e interage com a câmera. A assistente pessoal estará disponível nos celulares de topo de linha da marca, o Galaxy S8 e o S8+, apresentados ontem (17/4) no Brasil. Ambos os[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami