inova.jor

inova.jor

O que o brasileiro sentiu na estreia da seleção na Copa

A estreia na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF
A estreia da seleção na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF

Apesar de os sentimentos positivos serem predominantes entre os torcedores brasileiros, a estreia da seleção na Copa da Rússia causou vergonha.

Pelo menos foi isso que a torcida expressou no Twitter. A AP/Exata analisou 440.716 tuítes entre os dias 14 e 17 deste mês, para identificar as emoções do Brasil antes e durante o jogo contra a Suíça.

Torcedor brasileiro sentiu vergonha / Fonte: AP/Exata

No início do jogo, o brasileiro estava bastante orgulhoso da Seleção, segundo a AP/Exata, com 61% de orgulho e 39% de vergonha.

A intensidade do orgulho atingiu 73% depois do gol do Brasil, com 26% de vergonha. Com o gol da Suíça, o sentimento se inverteu, para 53% de vergonha e 46% de orgulho.

Mas o sentimento positivo recuperou-se logo em seguida, para depois cair de novo ao fim do jogo, quando os torcedores perceberam que o empate seria o placar definitivo.

Depois do final da partida, a vergonha chegou a 61% e o orgulho caiu para 38%.

A estreia do Brasil na Copa fez o torcedor ficar pessimista / Fonte: AP/Exata

O resultado da estreia também fez o brasileiro ficar pessimista. Durante a maior parte do jogo, os sentimentos de otimismo e pessimismo ficaram bem balanceados.

Com o gol da Suíça, o pessimismo passou a predominar, intensificando-se depois da partida.

Torcedor começou o jogo esperançoso / Fonte: AP/Exata

O torcedor passou a maior parte do jogo esperançoso. No início da partida, a esperança predominava com 70%, frente a 30% de descrédito.

No fim da partida, os dois sentimentos eram equivalentes.

Motivação

“O jogo envergonhou o torcedor, mas não o desmotivou a continuar torcendo pela seleção”, escreveu Sergio Denicoli, responsável pelo estudo.

Segundo ele, os sentimentos de esperança/descrédito ficaram focados na estreia da seleção.

Quando expressaram otimismo/pessimismo, no entanto, os torcedores misturaram as impressões sobre o jogo com sentimentos em relação ao país como um todo, citando questões econômicas e sociais.

“E, nesse quesito, acreditamos que um bom desempenho do Brasil na Copa poderá dar aos brasileiros um pouco mais de ânimo em relação ao país, pois a esperança está ali, sempre presente”, completou.

Com presença em Vitória, Brasília e Braga (Portugal), a AP/Exata é uma startup que trabalha com inteligência artificial, monitoramento de redes sociais e netnografia (análise de informações em meios online).

Sua metodologia tem como base o modelo de análise de emoções proposto por Robert Plutchik, professor da University of South Florida. Os algoritmos da empresa conseguem identificar até 32 sentimentos.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Entraves: Novas tecnologias têm o potencial de transformar profundamente o ambiente competitivo das empresas / Divulgação

Cinco entraves para ingressar no universo digital

Charles Hagler A adoção de tecnologias disruptivas tem mudado o comportamento das pessoas e a maneira de se fazer negócios. Novas tecnologias como internet das coisas, inteligência artificial, aplicativos móveis e big data, por exemplo, têm o potencial de transformar profundamente o ambiente competitivo das empresas nos mais diversos segmentos. Porém,[…]

Leia mais »
Christopher Klotzbach diretor da Flurry fala sobre mobile 2.0 / Mariana Lima / inova.jor

Para onde vai o mercado de aplicativos

Para Christopher Klotzbach, diretor da Flurry Analytics, a experiência dos usuários de aplicativos entra numa nova fase, que ele chama de Mobile 2.0. O executivo tem uma visão privilegiada desse mercado. Pertencente ao Yahoo, a Flurry opera uma plataforma usada por desenvolvedores para entender e acompanhar o perfil dos usuários de seus[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami